Corpo e Família – Metáforas da Igreja

No Novo Testamento, a palavra original grega para igreja é ekklésia. Esta palavra significa aqueles que são “Chamados do mundo para Deus”. Para entender isso melhor, é importante pensar nas idéias usadas na Bíblia para explicar o que a igreja deve ser.

Havia duas metáforas principais usadas no Novo Testamento para descrever a igreja.

São elas: 1) o Corpo de Cristo e 2) a Família de Deus. Quando a igreja funciona como um corpo e um família, começa a parecer exatamente com o que a Bíblia descreve como uma igreja.

O Corpo de Cristo

A igreja deve ser composta de pessoas que contribuem com diferentes dons.

Ora, assim como o corpo é uma unidade, embora tenha muitos membros, e todos os membros, mesmo sendo muitos, formam um só corpo, assim também com respeito a Cristo. 1 Coríntios 12:12 (NVI)

Em muitas igrejas, apenas algumas pessoas especiais usam seus dons. Uma pessoa excepcionalmente talentosa, treinada ministra, músicos profissionais se apresentam, especialistas em iluminação fazem a coisa deles – é isso que “a igreja ”tornou-se. Muitas pessoas assistem e se divertem, mas não têm oportunidade de desenvolver

seus dons espirituais. Freqüentemente, há pouco ou nenhum discipulado.

Nessas condições a igreja não funciona bem, a menos que haja uma grande ênfase nos grupos familiares/células além dessas grandes reuniões. Eu sustentaria que, para grandes igrejas, esses grupos familiares/células são onde “igreja”, realmente acontece como o Novo Testamento descreve.

Nas igrejas nas casas ou nos grupos familiares/células, é mais natural que os dons de cada discípuloo desenvolva. No entanto mesmo nesses grupos, precisamos ser intencionais em dar a cada pessoa a chance de participar. Isso faz o corpo funcionar de forma mais eficaz.

 A Família de Deus 

A outra metáfora bíblica comum da igreja é a de uma família. Freqüentemente no Novo Testamento ouvimos os cristãos se referirem um ao outro como irmão ou irmã. Paulo se dirige a Timóteo como seu filho no fé (1 Tm. 1: 2). Pedro fala da importância do amor na família dos cristãos – nas igrejas.

Tratem a todos com o devido respeito: amem os irmãos, temam a Deus e honrem o rei. 1 Pedro 2:17 (NVI)

Quando as pessoas vêm a Cristo, elas entram em uma nova família – a família de Deus. Nossas igrejas precisam ser um lugar onde haja um sentimento de família . Os relacionamentos familiares são diferentes dos outros tipos de relacionamentos. O nível de lealdade e compromisso mútuo é muito maior em uma família do que em um local de trabalho, por exemplo. Na minha parede, tenho um provérbio decorativo: “A família é para sempre”. 

Como podemos cultivar um sentimento de família na igreja? Isso é difícil de fazer quando a igreja é apenas uma reunião que acontece semanalmente. Os relacionamentos na igreja devem ser mais profundos do que isso. Isto significa se encontrar mais do que apenas nas manhãs de domingo. Significa fazer parte da vida um do outro. Isto significa servir um ao outro, estar lá um para o outro em tempos de dificuldade, dando um para o outro. 

As igrejas no livro de Atos tinham esse alto nível de compromisso relacional. Em locais com

intensa perseguição, isso acontece naturalmente. Cristãos que estão sofrendo, dependem desperadamente um dos outros. Porém, não é preciso ser perseguido, para nos fazer perceber a importância de relacionamentos mais profundos como cristãos.

Como mencionado anteriormente, nas igrejas nas casas isso ocorre mais facilmente do que no prédio. Ser uma família, mesmo nas igrejas nas casas, exige um  intencional esforço.

O que podemos fazer para ajudar a desenvolver um senso de “família” em nossas igrejas? Como podemos ajudar as pessoas a conhecer melhor um aos outros ou servir um aos outros melhor? 

Se nossas igrejas começarem a parecer mais como corpos e famílias, funcionaremos com mais eficiência – no sentido bíblico –  como igreja. 

Na próxima seção, veremos mais as características de uma igreja.

Leave a Reply

Your email address will not be published.